polvo com tomates

Imagem

outro dia eu mencionei aqui uma viagem que eu fiz há 10 anos atrás pra espanha e como eu lembro de quase tudo que eu comi. a refeição que eu mais lembro foi em um restaurante numa pequena cidade de praia, com mesas comunitárias e onde o próprio dono nos atendeu. chegamos e pedimos pelo cardápio. ele respondeu que não havia cardápio, que o que eles tinham era o que tinha vindo do mar naquele dia. a partir daí, virou um banquete… panelinhas e frigideiras com peixes, frutos do mar, cozidos, fritos, assados, puros, espetaculares. era isso, comida na forma que eu mais amo. uma mesa grande, com comida fresca, simples e encantadora. esse dia foi marcante, e acho que daí se consolidou minha adoração por frutos do mar. eu lembro disso muitas muitas vezes, especialmente quando vou à feira comprar peixe e fico pasma com a variedade, formas, cores, tantas mil opções de preparo.

mas o ponto que eu quero chegar é o seguinte: sabe aquela história de que polvo é muito difícil de fazer? que tem que bater no polvo? congelar por não sei quantos dias antes de cozinhar? esquece! você só precisa de uma panela (nesse caso, de pressão) e do polvo. nem de sal você precisa. notícia boa, né? principalmente pra quem gosta de frutos do mar. vamos preparar um polvo então?

Imagem

 essa receita foi feita para 10 pessoas. o que é importante é o seguinte: o polvo reduz à metade depois de cozido. então se você comprar um polvo de 1kg, ele vai ter 500g depois de pronto. esse foi servido com batatas ao forno, mas também cai bem com um arroz de brócolis ou branco.  

ingredientes: 

  • 4kg de polvo
  • 5 tomates grandes e bem maduros
  • uma cebola roxa
  • um punhado de folhas de tomilho
  • uma xícara de chá de cheiro verde picado
  • páprica picante
  • uma cabeça de alho fatiado
  • azeite
  • uma cebola
  • uma folha de louro

Imagem

como faz: coloque o polvo na panela de pressão com a cebola descascada e a folha de louro. quando começar a dar pressão e sair a fumacinha, conte 10 minutos no relógio e pronto! yey! 🙂 continuando… tire o polvo da panela e deixe esfriar um pouco. enquanto isso, em uma panela grande, cubra todo o fundo com azeite, coloque o alho e o tomilho em fogo bem baixo. a ideia é que o azeite incorpore os sabores, mas sem fritar nada. corte o polvo em pedaços de aproximadamente 1,5cm. coloque na panela com o azeite. adicione o tomate cortado em cubos grandes, a cebola roxa fatiada bem fininha, pimenta moída na hora e a páprica. misture bem e deixe em fogo médio por uns 10 minutos. prove e corrija o tempero se precisar. adicione o cheiro verde e pronto! 

Imagem

 

 

gazpacho

Imagem

todo mundo faz cara feia pra alguma comida. eu faço cara feia para várias, coisas que você provavelmente nunca vai me ver cozinhando. mas, de tempos em tempos, eu vou lá e dou uma provada em uma ou outra, pra ter certeza (ou não) de que eu não gosto daquilo. porque você sabe, pega mal a pessoa que cozinha falar que não gosta e não come e não quer provar e sai pra lá.

eu tinha um problema com tomate. até alguns anos atrás eu não comia tomate cru. e tomate seco, nem pensar. hoje uma das minhas comidas favoritas é sopa de tomate. vai entender. mas o meu affair com o tomate seco durou 2 meses… porque ontem eu descobri que o danado é ultra mega hiper calórico. papo de 400calorias em uns 4 pedacinhos. juro, pode pesquisar.

pois bem, chega de conversa. esse post é pra celebrar o tomate, todos os seus benefícios, a sopa de tomate quente (em breve por aqui) e a fria, o gazpacho. aprendi a fazer essa com os meninos do ogrostronomia, achei super equilibrada, me encantei e já repeti algumas vezes. você pode deixar essa receita pronta na geladeira e servir quando quiser 🙂

Imagem

ingredientes:

  • 6 tomates grandes maduros
  • 1 cebola roxa
  • 1 pimentão vermelho
  • 1 pepino
  • gelo – uns 6 cubos
  • 4 dentes de alho
  • 1 pão francês amanhecido
  • azeite
  • sal
  • pimenta moída na hora
  • suco de meio limão siciliano

Imagem

como faz: coloque numa assadeira o tomate, a cebola e o pimentão sem sementes, todos cortado em cubos. regue com azeite, tempere com sal e pimenta e leve ao forno pré-aquecido por 40/50 minutos. coloque o pão em um pote com água e deixe amolecer por alguns minutos, escorra e reserve. descasque o pepino e retire as sementes. coloque no liquidificador todos os ingredientes. prove e corrija o tempero se necessário, agora é só servir!

lasanha de abobrinha

Imagem

eu sei que agora tá rolando um alvoroço do tal macarrão de abobrinha. que aliás quando eu ouvi isso da primeira vez achei que a massa fosse feita de abobrinha e achei o máximo. mas não é isso. eu ainda não testei a abobrinha fatiada em forma de massa e cozida, mas eu gosto muito dessa receita com a abobrinha fatiada substituindo a massa da lasanha. eu sei, isso pode parecer estranho. mas eu tô pra ver um legume tão versátil quanto a abobrinha (a abóbora, talvez, mas nesse blog não trabalhamos com abóbora). depois de cozida, ela fica macia como uma massa comum, e vamos combinar que o gosto da lasanha está no recheio e não na massa, certo??

então abre essa cabeça, não faz cara feia e testa. dá uma chance. pensa que você vai comer uma lasanha delícia economizando bastante calorias. 

Imagem

ingredientes: 

  • uma abobrinha grande (de preferência grande e gorda)
  • 100g de de champignon
  • uma lata de tomate pelado
  • 4 tomates
  • 500g de carne moída
  • uma cebola média
  • 5 dentes de alho
  • 1 colher de café de noz-moscada em pó
  • mussarela fatiada (ou mussarela de búfala) – umas 8-10 fatias
  • sal e pimenta a gosto

como faz: em uma panela, refogue a cebola picada e o alho espremido. adicione a carne moída, mexa um pouco até ela perder toda a cor rosada. tempere com sal e pimenta. adicione o champignon, os tomates picados e o tomate pelado. em fogo baixo, deixe cozinhar por aproximadamente 50 minutos, sempre mexendo de 10 em 10 e cuidando para não grudar no fundo da panela. enquanto isso, fatie a abobrinha com um fatiador ou descascador de legumes. nos últimos 10 minutos, adicione a noz-moscada. prove e corrija o tempero se necessário. para montar a lasanha: em uma travessa, regue o fundo com um pouco de azeite, apenas o suficiente para a abobrinha não grudar. faça uma camada de abobrinha, depois outra de carne – eu gosto de tirar a carne da panela com uma escumadeira, descartando o excesso de molho, porque a abobrinha já vai produzir algum caldo enquanto cozinha, uma de mussarela, de novo de abobrinha e assim por diante. cubra a travessa com papel alumínio e leve ao forno médio pré-aquecido por 30 minutos. retire o papel e salpique um pouco de queijo ralado ou pedacinhos de mussarela por cima e deixe gratinar por mais 15 minutos. você pode substituir a mussarela por mussarela de búfala se preferir. essa receita serve 4 pessoas aproximadamente. 

bolinho de carne assada

bolinhodecarneassada2

roubei umas fatias de carne assada da panela e fiz esses bolinhos.

bolinho é comida conforto, né? só de ouvir eu já penso naquela bolotinha singela, mas que faz feliz toda vida. então aí vai a receita do bolinho pra você testar:

ingredientes:

  • umas 9 fatias de carne assada
  • 2 fatias de pão de forma sem a casca (qualquer pão)
  • 1 ovo grande ou 2 pequenos
  • meia cebola roxa picada bem pequenininho (ou triturada)
  • 1 colher de chá de noz-moscada
  • 5 dentes de alho
  • raspa de um limão

como faz: pique/desfie bem as fatias de carne assada, e depois esfarele as fatias de pão. o ideal é que a proporção seja uns 2/3 de carne para 1/3 do resto dos ingredientes. em uma tigela, coloque todos os ingredientes e misture muito bem, de preferência com as mãos, amassando bastante e formando uma massa uniforme. depois faça pequenos bolinhos, mais ou menos do tamanho de pequenos hamburgers, mas altinhos. aqueça a frigideira com um fio de azeite e frite os bolinhos, aproximadamente 3 minutos de cada lado. o ideal é fritar 4 por vez. servi com molho de tomate, mas você pode até usá-los como um recheio diferente de sanduíche!

bruschettas

Imagem

receita moleza de bruschettas para servir de entrada. para essas eu usei shitake desidratado e tomate italiano. normalmente no supermercado esses cogumelos desidratados são caros e vem bem pouquinho, então para valer a pena você pode comprar em lojas de produtos orientais. no cadeg, por exemplo, um pacotão de funghi desidratado sai por R$14.

Imagem

ingredientes:

– pão italiano

-para a bruschetta de tomate:

  • 5 tomates italianos
  • azeite de oliva
  • 4 dentes de alho picado
  • 1 punhado de manjericão fresco
  • sal e pimenta moída na hora

-para a bruschetta de funghi:

  • 200g de funghi desidratado
  • 2 colheres de sopa de creme de leite
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 taça de vinho tinto
  • 1 punhado de salsa
  • pimenta moída na hora

Imagem

como faz: antes de tudo, coloque o funghi para hidratar (é só colocar numa tigela com água e deixar por uns 30min). pré-aqueça o forno na temperatura média. corte seu pão italiano, caso não venha cortado, em fatias de aproximadamente 1,5cm. espalhe as fatias em uma travessa que vá ao forno, regue com um pouco de azeite e leve ao forno por uns 15 minutos.

para preparar a bruschetta de tomate, é só misturar os tomates cortados em cubinhos, o azeite, alho, pimenta, sal e manjericão.

para a de funghi, você vai precisar de um pouco mais de tempo. escorra e seque bem o funghi. derreta a manteiga em uma frigideira, adicione o funghi e deixe amolecer um pouco. depois coloque o vinho e o creme de leite e mexa esporadicamente por uns 10 minutos, ou até o funghi estar bem cozido. apague o fogo, coloque a salsa picada e misture bem. se por acaso sobrar algum “caldo” dessa mistura, descarte antes de servir. o ideal é que os cogumelos fiquem bem macios e absorvam todos os líquidos.

eu prefiro servir o “topo” da bruschetta separadamente, para que cada pessoa se sirva com a quantidade que quiser. mas você também pode servi-las já montadas.

atum no forno com camarão

Imagem
queria fazer uma receita nova com peixe. pra mim, qualquer coisa do mar é sempre a primeira opção. folheei todos os meus livros de receita e nada. então fui pra feira, e no caminho fui escolhendo meus ingredientes pro prato novo. bem facinho, delicioso, servido com salada verde. e foi super aprovado por quem comeu!

ingredientes: 

para o peixe:

  • 1 filé de atum fresco (em torno de 700g serve bem 3 pessoas)
  • 6 camarão médios (2 camarões por pessoa)
  • 4 tomates italianos
  • alecrim
  • 1 cabeça de alho
  • sal, pimenta moída na hora e azeite de oliva
  • 1 punhado de manjericão
  • 1 punhado de tomilho fresco
  • 1 ou dois limões

para a salada: alface, agrião, hortelã e palmito

Imagem

como faz: em uma travessa que vá ao forno, coloque os tomates cortados em 4, os camarões lavados e inteiros, e algumas cabeças de alho fatiadas. o ideal é, enquanto você prepara essa parte, que o atum fique guardado, porque se ele fica do lado de fora rapidamente começa a ficar com uma cor estranha. Depois deste ingredientes, lave bem o atum e coloque no meio da travessa. Tempere com sal, pimenta e azeite dos dois lados. Com uma faca faça uns furinhos na parte de cima do peixe e dentro coloque uns raminhos de alecrim de umas 4/5 fatias de alho. Por cima de tudo coloquei o tomilho, o manjericão, o alecrim que tenha sobrado, pimenta, sal e azeite. Depois esprema um ou dois limões por cima de tudo, mas não muito em cima do peixe. Cubra tudo com papel aluminío e leve ao forno pré-aquecido em temperatura média. Fique de olho no atum porque se ele passar do ponto pode ficar seco e sem graça. É claro que tudo depende muito do forno que você cozinha. O ideal é deixar meia hora no forno, depois retirar e com uma faquinha ver se ele está rosinha por dentro. Esse é o ponto ideal, no qual ele por dentro ainda está um pouco cru. Sirva com os camarões, tomates e a salada, fica delicioso!